O meu ponto de vista

Junho 27 2020

É politicamente correcto não falar sobre os rankins e, se porventura, ousar discorrer sobre tal o mais acertado é desvalorizar. Aliás, o melhor é dizer mal e pululam por aí mil e um argumentos que, para este fim, se podem aproveitar. Desde os dirigentes sindicais, passando pelos governantes, sem esquecer aqueles que se encontram mal ou muito mal posicionados nos ditos cujos, todos apresentam teorias e factos, uns com princípio, meio e fim outros mal amanhados, para contrariar o interesse do público.

Ao exposto anteriormente unicamente escapam os que se encontram nos lugares cimeiros. Vejam-se as declarações dos directores destas escolas a perorar sobre o porquê de tão bons resultados. Este ano serviu para elaborar este mini-ranking bairradino os dados colhidos em (https://observador.pt/interativo/ranking-das-escolas-veja-em-que-lugar-ficou-a-sua/).

Relativamente aos dados, eles falam por si. Apenas uma questão: escolas existem que vão de queda em queda até gloriosamente alcançarem, um dia destes, os últimos lugares. Depois é só inverter a tabela. Construir é difícil. Fácil é o contrário.

Sem Título 2.png

 

 

publicado por Hernani de J. Pereira às 21:03

Fevereiro 18 2019

Poucos são aqueles que dizem abertamente dar importância real ao ranking das escolas ou, como já vi escrito, ranking dos alunos. Todavia, é raro aquele que por manifesto interesse ou mera curiosidade não dê uma olhadela a tal e mais publicamente ou em privado não discuta o assunto.

Conforme já ouvi, por pouco interesse que o assunto presentemente desperte, bem como a subjectividade dos resultados, é sempre preferível a divulgação da informação do que a sua sonegação.

Sem outras considerações eis o que apurei.

9º Ano

Posição

Denominação

Concelho

Nº de exames

Média 2018

Média 2017

6

Escola Básica de Vilarinho do Bairro

Anadia

50

3,58

3,16

10

Escola Básica Nº 2 de Mealhada

Mealhada

117

3,47

3,07

15

Escola Básica Carlos de Oliveira - Febres

Cantanhede

95

3,34

2,85

16

Escola Básica Nº 2 de Pampilhosa

Mealhada

96

3,33

3,41

30

Escola Básica Marquês de Marialva

Cantanhede

258

3,05

3,23

43

Escola Secundária de O. Bairro

O. Bairro

259

2,98

2,98

 

Secº

Posição

Denominação

Nº de alunos

Média 2018

Média 2017

137

Escola Secundária Lima de Faria - Cantanhede

701

113,57

108,2

192

Escola Básica e Secundária de Anadia

531

110,29

112,2

318

Escola Secundária de Oliveira do Bairro

551

104,96

112

404

Escola Secundária de Mealhada

420

100,91

104,1

 

Agora, resta a cada um tirar as devidas ilações.

.

publicado por Hernani de J. Pereira às 21:36

Fevereiro 07 2018

images.jpg

Todos os anos digo o mesmo e acerto sempre. Confesso estar cansado de ter razão antes do tempo. Pessoas existem que nunca mais aprendem. Basta colocar-lhes um microfone à frente e toca de debitar sound bites. A coerência que vá às malvas. Importante, importante é dar nas vistas e realçar o melhor, ainda que não seja directamente da sua lavra, e varrer para debaixo do tapete o pior.

A propósito de quê vem esta prosa? Passarei a explicar. Então, não é que anda a circular pelas redes sociais um vídeo retirado de uma reportagem efectuada pelo CM, onde se alude aos bons resultados registados por uma escola pertencente a um agrupamento de escolas aqui bem perto. Naquele pode ver-se um excerto de uma aula – não foi por acaso a escolha -, assim como alunos, dirigentes intermédios e quase máximos a dizer do porquê de tal sucesso.

Se até aqui nada a obstar, apesar do referido ser de há muito uma realidade concreta – bem, em abono da verdade, diga-se que, nessa altura, os mesmos criticavam ferozmente quem aludisse a tal -, o espanto aumento exponencialmente quando não são capazes de mencionar as razões porque as outras unidades educativas do mesmo agrupamento têm francamente piores resultados, incluindo a escola-sede. Será que a liderança não é a mesma?

Ai se hipocrisia matasse!

publicado por Hernani de J. Pereira às 20:29

Fevereiro 03 2018

Sim, eu sei que divulgar o que quer que seja sobre rankings, para a proeminência do mainstream educativo deste retângulo à beira-mar plantado, é bem pior que cuspir na sopa. Então discutir sobre tal, ainda que se queira observar da sua ineficácia ou assertividade, é mais escabroso que o assédio sexual.

Isto apesar de saber que neste meio, a hipocrisia pulula mais que pulgas no Verão sobre o dorso de qualquer cão sarnoso. Quem não conhece este ou aquele responsável escolar – podia até adiantar nomes – que publicamente dizem cobras e lagartos sobre aqueles? Contudo, nesta ou naquela reunião, de forma mais ou menos velada, lá vão exaltando a escola, professores e alunos, sem esquecer de mencionar que também é devido à sua liderança que tais resultados foram obtidos, isto se a posição é confortável. Em caso contrário, não se esquecem de aludir à implementação de novas estratégias, outras parcerias, em suma, outra forma de ser e estar no seio da comunidade educativa, ao mesmo tempo que advogam que o insucesso é devido aos pais, ao meio, bem como ao sumiço do lince ibérico.

Assim, eis, como serviço público, o ranking respeitante aos concelhos bairradinos, cujos créditos pertencem ao JN. Cada um, se assim o entender, que tire as suas ilações.

 

9º ANO

Posição

Escola

Concelho

Média

149

Escola Básica n.º 2 de Pampilhosa

Mealhada

3.41

238

Escola Básica Marquês de Marialva

Cantanhede

3.23

286

Escola Básica de Vilarinho do Bairro

Anadia

3.16

394

Escola Básica n.º 2 de Mealhada

Mealhada

3.07

503

Escola Secundária de Oliveira do Bairro

Oliveira do Bairro

2.98

557

Escola Secundária da Mealhada

Mealhada

2.95

 

SECº

Posição

Escola

Concelho

Média MAT

Média PORT

Média EXAMES

154

Esc. Bás. e Secundária

Anadia

12.21

12.35

11.22

157

Escola Secundária

Oliv. do Bairro

12.25

11.31

11.20

227

Escola Secundária

Cantanhede

11.28

10.79

10.82

336

Escola Secundária

Mealhada

9.28

12.32

10.41

 

Adenda: Quem achar interessante efectuar a comparação com os anos anteriores basta ir a http://omeupontodevista.blogs.sapo.pt/ranking-das-escolas-2016-509745

 

publicado por Hernani de J. Pereira às 22:57

Dezembro 13 2015

Contra a vontade de alguns, mas tendo a certeza de que muitos outros esperam por esta análise, eis novamente a compilação dos dados relativamente aos exames efectuados nas nossas escolas durante o ano lectivo transacto, à semelhança do que fiz em 2012, 2013 e 2014.

Como é obvio, a leitura de tais dados é subjectiva e, por isso, ela é diferente de publicação para publicação, de indivíduo para indivíduo. Há aqueles que são radicalmente contra, há os que são totalmente a favor e, como não podia deixar de ser, os restantes nem são sim nem não, mas antes nim.

Uma coisa é certa, a importância da divulgação deste assunto é tanta que não existe órgão de comunicação que não lhe dê realce de primeira página. Sintomático!

Bem se pode argumentar com os mais variados factos que têm uma influência nos resultados escolares - os alunos e respectivos progenitores, o contexto sócio-cultural e económico, o interior mais desertificado versus litoral mais rico, o mundo rural versus meio urbano, mais cosmopolita, entre outros – que isso não retira interesse ao tema.

3.png

 (Dados extraídos do DN)

Uma vez que a tabela é de fácil leitura, não tecerei grandes comentários adicionais. Permitam-me, no entanto, acrescentar uma decisão que falta tomar na Mealhada. Algo que será fácil de executar, mas extremamente difícil de tomar. Mudar os docentes da Pampilhosa para a Mealhada e vice-versa, bem como colocar outros docentes a ministrar o ensino secundário. Todos ganhariam, sobretudo os discentes em particular e o concelho em geral. Haverá força e vontade para tal? Fica o repto.

Uma nota para a “minha” escola, a qual retiro de um dos jornais de maior referência do país, senão mesmo o maior, i.e., do Expresso de ontem: Quase tantas (288) conseguiram alcançar resultados bem melhores do que o expectável. O ME chama-lhes “promotoras do sucesso”. Por exemplo, a Escola Básica nº 2 da Pampilhosa, na Mealhada: 68% dos seus alunos chegaram ao 9º ano sem chumbos e com positiva nos dois exames, um verdadeiro feito, tendo em conta que, a nível nacional, apenas 41% dos estudantes que há três anos estavam no mesmo ponto de partida o conseguiram.

Todavia, sem querer desmerecer os resultados, há que ter em conta, em anos anteriores, a existência de CEFs, Vocacional e PCA, as quais retiraram muitos maus alunos das turmas ditas normais. Ora, com o fim daquelas, receio que os resultados se possam agravar e não pouco. Mais uma chamada de atenção para quem de direito!

publicado por Hernani de J. Pereira às 20:44

Novembro 18 2013

Como anualmente faço, mais uma vez debruço-me sobre os resultados obtidos na nossa Escola, comparando-os com os obtidos nas dos concelhos vizinhos, cuja realidade não é muito diferente da nossa. Para tentar não confundir “gato por lebre” – não é que esteja completamente de acordo com a metodologia usada – retirei das respetivas estatísticas as escolas privadas. Assim, a comparação é ela por ela.

Sem mais delongas, eis o quadro apurado, cujos resultados apurei do Público e que aqui podem ser consultados em mais pormenor.

 

Concelho

Ano

Média

Mealhada

3,00

Anadia

3,43

Cantanhede

3,18

Mealhada

2,72

Anadia

2,71

Cantanhede

2,98

Mealhada

2,60

Anadia

2,48

Cantanhede

2,68

Mealhada

12º

9,38

Anadia

12º

9,79

Cantanhede

12º

9,88

 

Concretamente, uma vez isso ser também relevante, apresento os resultados sumários das diferentes unidades orgânicas deste Agrupamento. Como é óbvio, a fonte é a mesma.

 

Posição em 2012

Posição em 2013

Ano

Escola

Média

371

308

EB 2, 3 de Pampilhosa

2,82

646

569

EB 2, 3 de Mealhada

2,62

224

174

EB 2, 3 de Pampilhosa

2,83

577

502

EB 2,3 de Mealhada

2,51

662

577

Escola Sec. de Mealhada

2,46

 

Os valores aqui estão, sem mais comentários, apesar de fazer, como qualquer um de vós, caros leitores, a minha análise. Aliás, de certo modo, a mesma continua a ser bem linear. Só não vê quem, na verdade, não quer ver.

É evidente para todos que os resultados não devem ser lidos “em bruto”. Conforme afirmou David Justino, antigo ME e actual presidente da CNE, “a injustiça não está nos rankings mas nas leituras que se fazem. Muitas vezes precipitadas”. Contudo, adiantou este antigo responsável governativo, “a divulgação dos resultados escolares é positivo, tanto para as escolas como para as famílias, pois tal não vai no sentido de julgar a escola – abro um parênteses para discordar – mas, acima de tudo, para a avaliar e, sobretudo, obrigá-la a fazer mais e melhor”.

Importa sim, observar o que fazem, principalmente, as escolas vizinhas, isto é, em contextos idênticos, quais as mudanças que fizeram e as estratégias que usaram, para obter melhores resultados.

Enterrar a cabeça na areia, como a avestruz, continuar a afirmar que, independentemente dos resultados, nos sentimos orgulhosos da performance de cada um dos agentes educativos, é uma falácia e especialmente querer mudar para que tudo fique na mesma.

publicado por Hernani de J. Pereira às 19:35

Outubro 24 2011

Foi notícia no outro fim-de-semana. Porém, por falta de informação ou, então, propositadamente pouco foi referido entre os docentes.

Contudo, pessoalmente, como tenho vindo a referir, ano após ano, não lhes dando importância capital, também não reduzo o seu valor a zero. Valem o que valem, sabendo, de antemão, que, para analisar estes dados, não existem critérios objectivos totalmente justos, tanto mais que a subjectividade que lhes está intrínseca é de difícil, senão impossível, mensuração.

Mas vamos aos resultados, e mais concretamente a este rincão onde se exerce a actividade docente. Assim, no que concerne aos exames do 9º ano, de acordo com o “Público“  (http://static.publico.pt/docs/educacao/rankings2011/basico), temos EB 2,3 de Pampilhosa na posição 237(241), a Secundária de Mealhada na 359(966) e EB 2,3 de Mealhada na 799(1038). [Nota: o mencionado entre parêntesis refere-se à classificação de 2010].

Nesta ordem de ideias, constata-se que todas as escolas subiram de posição, em especial a Secundária, o que é de louvar. Todavia, também é justo dizer-se que, face ao lugar cimeiro que a Pampilhosa ocupa, a eventual subida é mais difícil. Com estas palavras não quero, de modo algum, dizer que não devam fazer mais e melhor. Bem pelo contrário, pois sei que há bons recursos humanos para isso.

Saliente-se, no entanto, que a Pampilhosa continua, de longe, a liderar, o que não é para estranhar, tanto mais relevante quanto se sabe que o nível sócio-económico dos discentes é pior que o das outras escolas.

Outra ilação que se pode tirar prende-se com o facto de, apesar de a Pampilhosa desde sempre ter liderado este ranking, os poderes actualmente instituídos querem apostar em práticas usadas por outras escolas, quando, como é óbvio – não há pior cego que aquele que não quer ver –, deveria ser ao contrário. Há coisas que não se conseguem compreender. Enfim!

No que respeita ao secundário, é patente a melhoria de resultados. Mealhada posicionou-se na 193ª posição, isto é, bem à frente dos concelhos vizinhos, tais como Anadia e Oliveira do Bairro. Em 2010 detinha o 365º lugar. É, por isso, justo o louvor público.

publicado por Hernani de J. Pereira às 16:15
Tags:

Novembro 12 2010

Segundo consta a “Mealhada” quer saber como a “Pampilhosa” se mantém muito à frente no ranking dos exames nacionais, pelo menos, desde que estes começaram a ser publicados. Indagam sobre os métodos usados, as estratégias implementadas e, fundamentalmente, quais foram as soluções encontradas.

Desde já lamento que, apesar de ao longo dos últimos anos, ter escrito e dado entrevistas aos media sobre tal facto, poucos se tenham debruçado sobre tal. Mais: não queriam saber, assobiavam para o lado e, simultaneamente, desvalorizavam o assunto. Agora, que o assunto é motivo de alguma disputa política, quando os autarcas se digladiam na praça pública sobre esta temática, aqui d’el-rei toca a reunir as tropas para encontrar respostas.

Sendo certo que, neste campo, não existem milagres, a resposta está no elevado profissionalismo dos docentes, na entrega afincada dos funcionários e, fundamentalmente, no trabalho denodado dos alunos, bem como no acompanhamento próximo das respectivas famílias. Todavia, como já tive oportunidade de, por diversas vezes fazer notar, é conveniente e é de toda a justiça salientar também o esforço - na retaguarda, é certo, mas não menos importante - do órgão de gestão. Sentido de responsabilidade, dando o exemplo antes de o pedir, exercício de autoridade sem receio de ser apelidado de autoritário, uma melhoria constante das consições de trabalho - quer físicas, quer materiais -, assim como uma rendição total ao cargo e uma forte ligação à comunidade.

E, tal como já aqui escrevi - http://omeupontodevista.blogs.sapo.pt/218236.html -, o meu lamento vai também por se seguir o exemplo de quem não tem provas para dar. Por isso, reafirmo que se querem alcançar igualmente bons resultados, copiem, adoptem os mesmos rumos, apliquem os mesmos processos. Com toda a franqueza, receio que a aplicação do contrário do aqui anunciado, como o que está presentemente a acontecer, faça com que os maus resultados se estendam a todas as escolas.

publicado por Hernani de J. Pereira às 19:35

Outubro 15 2010

Sei, de antemão, que alguns vão dizer que os rankings não reflectem verdadeiramente o trabalho das escolas e que existem imensos factores que aqueles não têm em conta. Todavia, valendo pouco ou muito, espelhando ou não a realidade escolar, o certo é que ninguém lhes é indiferente e, por isso, os que se situam nos lugares cimeiros não disfarçam o seu regozijo, tal como os que estão no fundo da tabela não perdem oportunidade para argumentar contra tal seriação.

Hoje, à semelhança dos anos anteriores, os jornais de referência trazem à estampa o ranking das escolas baseado nos exames feitos pelos respectivos alunos em 2010. E, concedendo, de bom grado, que não se pode comparar o incomparável, como, por exemplo, a Secundária D. Maria-Coimbra e a Secundária de Belmonte, pelos motivos que facilmente se deduzem, a verdade é que tal já se pode fazer em escolas do mesmo concelho, separadas por meia dúzia de metros, como é o caso de Mealhada.

Assim, no respeitante aos exames do 9º ano, e transcrevendo os dados do “Público” podemos observar

 

Escola

Nº de provas

Média

Posição no Ranking

EB 2,3 de Pampilhosa

64

3.13

198

Sec.ª de Mealhada

100

2.60

873

EB 2,3 de Mealhada

60

2.55

937

 

Ora, tendo em conta que os alunos da Pampilhosa, finalistas do 3º Ciclo, percorreram a maior parte do seu percurso escolar durante um espaço temporal em que aí tive as maiores responsabilidades, e, apesar, de saber que tal sucesso se deve, essencialmente, aos alunos, professores e respectivas famílias, penso ser justo reivindicar também alguns dos louros.

Outra vertente que importa realçar tem a ver com o modo como, ultimamente, se tem “dirigido” os destinos da educação a nível do concelho de Mealhada. Como é do conhecimento geral, as determinações que têm surgido - já aqui, por várias vezes, criticadas - seguem as pisadas do que tem sido prática na ex-Secundária. Então, não será um paradoxo percorrer o caminho traçado por uma escola cujos resultados, ano após ano, se tem pautado pelos últimos lugares dos rankings?

Sempre nos foi ensinado que deveríamos seguir os que, com provas dadas, se posicionam, indiscutivelmente, no topo da liderança e nunca o contrário. Mas, nos tempos que correm já nada nos pode admirar!

publicado por Hernani de J. Pereira às 22:09

Análise do quotidiano com a máxima verticalidade e independência possível.
hernani.pereira@sapo.pt
Outubro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


arquivos

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO