O meu ponto de vista

Junho 30 2022

shopping.png

Sim, eu sei que pensavam para convosco: se ele, hoje, escrever algo, tal versará sobre a trapalhada relativa ao novo aeroporto de Lisboa, ou seja, a polémica entre o enfant terrible do PS/governo, Pedro Nuno Santos, e o primeiro-ministro, António Costa.

Todavia, se assim cogitavam, estavam enganados. Estou cansado de confusões, seguidas de salsadas deste (des)governo e, por isso, decidi não dar mais para este peditório.

O que importa, neste dia, é facto de me ter levantado às 06h00 com vista a colocar sulfato nas vinhas. A forte ventaneira que durante o dia e sobretudo ao cair da tarde tem impedido a colocação desta cura. Assim, a única hipótese é “usar” as primeiras horas do dia com luz, altura em que praticamente o vento é inexistente. Apenas como complemento, acrescento que quando concluí a tarefa, em jejum, diga-se em abono da verdade, cerca das 09h00, o sulfato, principalmente o enxofre incorporado, bem começou a incomodar-me devido à ventosidade que, então, se levantava.

publicado por Hernani de J. Pereira às 21:20

Junho 24 2022

transferir.jpg

É do conhecimento geral que o país está em seca severa. A maioria das barragens atingiu praticamente a cota mínima, já se falando em racionamento de água, sobretudo onde se registam os grandes consumos. Os solos agrícolas estão em pó e cada vez é mais difícil conseguir água para a rega.

Contudo, como ainda ontem presenciei, nos meios urbanos, à menor gota de chuva aqui d’el rei que nos vamos molhar. Que chatice! E não deixam de acrescentar mais deplorações: a continuar com este tempo lá se vai o fim-de-semana, isto para não falar do impedimento de ir à praia.

Ora, como para a esmagadora dos habitantes citadinos, as batatas, as hortaliças, as frutas, as carnes, etc., nascem no Continente, Pingo Doce ou em outras grandes superfícies comerciais, o que querem é sol num céu azul, i.e., tempo quente.

Ah, são todos muito amigos do meio ambiente. Desde que aquelas empresas lhes proporcionem os ditos produtos tanto basta, independentemente de onde vêm e da respectiva pegada ecológica provocada pelo transporte de grandes distâncias.

publicado por Hernani de J. Pereira às 21:42

Junho 22 2022

402_kubota site.png

Com a publicação do Decreto-Lei n.º 151/2017, de 7 de Dezembro, verte-se na legislação portuguesa a diretiva europeia 2016/1106/UE sobre a carta de condução. De entre outras, alteram-se algumas regras sobre a condução de veículos agrícolas.

Assim, passa a ser obrigatório frequentar uma formação, nos seguintes casos:

- Condutores com carta de condução da categoria B (automóveis ligeiros) que queiram conduzir veículos agrícolas de categoria II, os quais englobam tractores agrícolas ou florestais (simples ou com equipamentos montados), desde que o peso do conjunto não exceda 3.500 Kg, bem como tractores agrícolas ou florestais com reboque ou máquina rebocada, desde que o peso do conjunto não exceda 6.000 Kg.

- Condutores com carta de condução da categoria C ou D que queiram conduzir veículos agrícolas das categorias II ou III, sendo estes últimos referentes a tractores agrícolas ou florestais com ou sem reboque e a máquinas agrícolas ou florestais pesadas, ou seja, que pesem mais de 3.500 Kg.

Ora, possuindo carta de condução da categoria B e tractor até 3.500 Kg estou obrigado, até Agosto próximo, a fazer formação, a qual se pode frequentar gratuitamente - valha-nos a ajuda da Santa UE - numa cooperativa ou pagando 200 € a uma entidade particular/privada.

Assim, não estando disposto a pagar aquela despudorada exorbitância para pouco ou nada aprender, efectuei a respectiva inscrição em duas cooperativas. Porém, à minha frente encontram-se centenas de agricultores numa delas e mais de um milhar noutra.

De uma coisa não poderei ser acusado: não ter tentado.

publicado por Hernani de J. Pereira às 22:07

Junho 17 2022

shopping.png

Anteontem foi o motor de rega a dar-me “água pela barba”. Depois de passar o dia à volta deste – se não era do chupador era da anilha, se não era do motor era da bomba, se não era do c@ era das calças -, o certo é que só ao final do dia consegui regar algo.

Hoje foi o atomizador. Depois de colocar produto nos kiwis, não quis mais pegar, com vista a colocar sulfato e insecticida nas batatas. Bem puxei e voltei a puxei, drenei combustível e coloquei novo. O certo é que … nada. Que vontade de o colocar no caminho e passar-lhe com o tractor por cima.

Foska-se. Não acredito em bruxas, mas que as há, há!

Ah, vou deixar de me queixar nos Banhos. É que aos outros tudo corre às mil maravilhas. As máquinas, sejam elas quais forem, funcionam sempre, bem como as vinhas, as batatas e outras culturas não sofrem de quaisquer maleitas. Mesmo que utilize os mesmos produtos, nos mesmos dias e em igualdade de circunstâncias, o oídio, o míldio e outras doenças só entram nas minhas culturas.

 

publicado por Hernani de J. Pereira às 21:59

Junho 16 2022

transferir.jpg

(Imagem retirada do Google)

 

Na nossa vida ou na sociedade não há lugar para o vazio. Tudo o que vaga é preenchido. Na ausência de algo, geralmente o oposto ocupa o respectivo espaço. As raríssimas excepções confirmam a regra.

Verificando-se a inexistência de amor, o ódio e/ou a indiferença falam por si. A guerra, por exemplo, impõe-se quando a paz se afasta. Por sua vez, a falta de fortaleza dá lugar ao medo e vice-versa. O não trabalhar origina o seu oposto, o ócio, o viver à custa dos outros. A carência de vergonha é suportada pela sua antítese e provoca, geralmente, uma fuga para a frente com todas as nefastas consequências.

Não é por acaso que numa relação, independentemente do seu género, a falha de um ente, interior ou não, é normalmente colmatada por alguém de outro porte, usualmente externo. Pode ser melhor ou pior. Não importa, desde que ateste o desocupado. Aliás, é nestas situações que se cometem os maiores erros. O horror ao vácuo origina, com alguma premência, a indagação de um invasor. E a culpa não pode, de modo algum, ser assacada a este(s) ou aquele(s) interveniente(s), uma vez partir intrinsecamente do mais profundo do ser humano.

publicado por Hernani de J. Pereira às 20:39

Junho 15 2022

img_384x270$2019_03_23_14_49_30_191898.jpg

Não é meu costume enveredar por estes comentários. Todavia, como diz o nosso povo, nem nunca nem sempre. A excepção confirma a regra.

Então não é que a deusa Cristina Ferreira, anda por praias de paisagens idílicas, provando comida requintada e alojando-se em hotel de luxo cujo preço por noite ronda os três mil euros, não olhando a custos para as suas férias em Palma de Maiorca.

Porém, nem tudo é o que parece e a também apresentadora apresentou um “relatório de contas” em que garante que não pagou nada para estar no local.

publicado por Hernani de J. Pereira às 21:35

Junho 14 2022

Não se tem falado de outra coisa que não sejam os problemas a nível do SNS e, sobretudo, do encerramento de urgências de obstetrícia e ginecologia. Um pouco por todo o país, não faltam exemplos de falta de apoio, em caso de emergência, para as grávidas. Até parece que o problema é apenas de agora, mas, segundo os responsáveis médicos, há muito que tal situação estava perfeitamente identificada e, sem sombra para dúvidas, do conhecimento da tutela.

Como vem sido habitual nos últimos tempos, só quando troveja é que o governo se lembra de Santa Bárbara. Agora promete resolver – não diz como – o problema. Nada de novo!

Todavia, um total cinismo e a máxima hipocrisia vêm da parte do PCP e do BE. Estes afirmam que tal estado se deve às políticas governamentais implementadas pelo governo PS nos últimos anos. Mas será que se esqueceram da geringonça? Será que não têm memória da forma como serviram de muleta a tal política? Quem aprovou, durante os últimos seis, repito, seis anos, orçamento atrás de orçamento, os quais mais não eram que manobras de cativações, bem mais graves que a austeridade dos tempos da troyka?

publicado por Hernani de J. Pereira às 20:54
Tags: , , ,

Junho 13 2022

Os combustíveis continuam, semana após semana, a aumentar. E o governo, comando por esse expert em estratégia política, de sua graça António Costa, bem como expoente máximo de trazer a comunicação social pela trela, não abre a boca. Pudera! Em cada aumento, mais os cofres do Estado amealham.

A inflação dispara? O que importa? Com os preços mais elevados mais impostos são arrecadados, uma vez que o IVA incide sobre o preço final.

A saúde pública rebenta pelas costuras, mercê de fortes e danosos cortes no investimento público. Não importa. Isso é coisa de somenos importância.

Uma coisa é anunciar milhões e mais milhões, outra bem diferente é aquilo que verdadeiramente é investido. As cativações exercidas, durante oito anos, com o beneplácito da pseudo-esquerda, aí estão para o provar. E o que diz o governo? Nada! Fecha-se em copas, pois quanto menos falar melhor.

E, depois, a maioria absoluta dá-lhes esses ares de falsos pergaminhos.

Por fim, o PR, Marcelo Rebelo de Sousa, dispara – pólvora seca, entenda-se – em todas as direcções, o que quer dizer que concretamente nada diz e muito menos adianta.

publicado por Hernani de J. Pereira às 16:46

Junho 08 2022

transferir (1).jpg

images.jpg

Paula Rego morreu hoje, em Londres, onde viva há muitos anos. Figura ímpar na pintura, de acordo com os mais entendidos, deixou um legado extraordinário de tal modo que originou um dia de luto nacional. Infelizmente, Deus, a sociedade ou a escola não me deram as ferramentas para poder apreciar, em toda a sua exuberância, a arte produzida por tal. Bem pelo contrário, acho as obras, sem excepção, feias, sem nexo, isto para não dizer monstruosas. Mas o defeito, é com toda a certeza, meu. Lamento.

Igualmente, hoje, também faleceu Pinto Monteiro, ex-Procurador–Geral da República dos maus e infelizes tempos de José Sócrates. Este, juntamente com Noronha do Nascimento, ex-presidente do Supremo tribunal de Justiça, tudo fizeram, por muito que o negassem, para proteger aquele ex-primeiro-ministro, figura principal da Operação Marquês. Inclusive chegaram a cortar à tesoura páginas de processos onde constavam crimes de Sócrates.

Contudo, como é costume nestas ocasiões, termino formulando votos de paz eterna.

publicado por Hernani de J. Pereira às 20:39

Junho 07 2022

A hotelaria e restauração tem sido nos últimos tempos um dos sectores cujo crescimento mais se tem notado. Devido nossas às belas praias, óptima gastronomia, custos baixos, sem esquecer o clima de segurança interna, estarmos em período pós-pandemia e, sobretudo, por nos situarmos bem longe do cenário de guerra, o turismo tem crescido exponencialmente.

Este boom tem, todavia, um senão, ou seja, origina falta de mão-de-obra. Ora, sabendo que apesar dos enormes lucros esperados, o certo é que é dos sectores que mais mal paga aos seus trabalhadores. Isto para não falar de horários completamente desregulados, cuja saída, na maioria das vezes, vai bem para lá da meia-noite e trabalho aos fins-de-semana.

Assim, em vez de aumentar os salários para atrair mais recursos humanos, pedem ao governo que abra uma via verde à imigração. Estou convencido que António Costa não lhes fará a vontade. Para vergonha já nos chega uma Odemira.

publicado por Hernani de J. Pereira às 20:53

Análise do quotidiano com a máxima verticalidade e independência possível.
hernani.pereira@sapo.pt
Junho 2022
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
18

19
20
21
23
25

26
27
28
29


arquivos

Junho 2024

Maio 2024

Abril 2024

Março 2024

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Julho 2022

Junho 2022

Maio 2022

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO