O meu ponto de vista

Novembro 26 2020

O governo, em face da segunda vaga da pandemia provocada pelo Covid-19, decidiu dar tolerância de ponto nos próximos dias 30.11 e 07.12, o que implica o encerramento da esmagadora maioria dos serviços públicos, abarcando como é óbvio, creches e escolas.

Assim, os funcionários públicos com filhos menores de 12 anos, uma vez que ficam em casa com salário garantido, não têm quais quer problemas com o cuidar destes. Agora, imagine que é trabalhador do sector privado, com filhos menores de 12 anos, e que a respectiva empresa decide que todos os seus colaboradores devem trabalhar naqueles dias. Só tem duas hipóteses: ou falta justificadamente, mas não recebe um cêntimo, ou entrega os seus descendentes aos avós, os quais, face à idade de grande parte deles, estão incluídos em grupo de risco.

Como se depreende, dois pesos e duas medidas. Bem à medida dos socialistas e de outros quejandos de esquerda caviar e não só.

publicado por Hernani de J. Pereira às 11:33

Novembro 24 2020

É por demais sabido e todos já compreendemos que legalmente o PCP tem todo o direito de efectuar o seu congresso, juntando centenas de pessoas, senão milhares, no mesmo espaço. Ponto final parágrafo.

Todavia, uma coisa é a legalidade outra é a ética. Não é por acaso que também é do conhecimento geral que nem tudo o que é legal deve ser feito. Momentos, situações existem que levam a que o bom senso nos obrigue a não realizar ou adiar isto ou aquilo. É a experiência de vida que nos ensina tal.

Depois há a questão do exemplo. Quando a esmagadora maioria dos portugueses não pode sair de casa, existem uns tantos e quantos privilegiados que se podem movimentar, do Minho até às ilhas, a caminho de Loures. É evidente que o PS também não sai bem desta história. Se legalmente nada pode fazer, em privado (e não só) poderia e deveria dizer algo. No entanto, a aprovação do Orçamento de Estado falou mais alto. Não é verdade? Mas que parece, parece. E em política o que parece é!

Com isto procuro transmitir que não bato nem baterei no “ceguinho”. O PCP acha que deve realizar o dito evento? Que o faça e com bom proveito. A única atitude que exijo aos comunistas é o de arcar com todas e quaisquer responsabilidades, tanto mais que se trata de realizar um evento num dos concelhos com risco muito elevado, repito, muito elevado, de transmissão do Covid-19.

Façamos, agora, o seguinte exercício, a título meramente exemplificativo: A Igreja Católica decidia marcar uma celebração em Fátima onde eventualmente estariam o mesmo número de pessoas que irão encontrar-se em Loures, apesar de garantir, tal como aquela força política, as mesmas regras de sanidade pública. Uma coisa seria certa: cairia o Carmo e a Trindade. Não haveria jornalista/comentador e achista de vão-de-escada que não proclamasse aos quatro ventos cobras e lagartos, aludindo à inexistência de sentido de responsabilidade.

Por fim, o Chega!. Pode e tem alguma razão em determinados temas que aborda. O mais idiota dos homens, uma ou outra vez, é capaz de dizer uma verdade ou, vá lá, uma meia-verdade. Porém, neste campo é pleno populismo e completo aproveitamento político. Ainda há pouco tempo – não foi há meses, foi há poucas semanas - realizou um encontro/jantar (político) num hotel (de luxo) no Porto, onde estavam todos sem máscara e em pleno convívio social, portanto bem mais perigoso, em termos de contágio, que o próximo congresso do PCP. Quem tem telhados de vidro não atira pedras.

publicado por Hernani de J. Pereira às 12:59

Novembro 17 2020

Todos os dias surgem anúncios para os próximos meses de novas vacinas para combater o Covid-19. E, sem assombro, as de hoje são mais eficazes e, sobretudo, mais fáceis de armazenar, transportar e, consequentemente, diminuindo o risco de logística, que as vaticinadas ontem.

Com fé e muito dose de optimismo acho que é verdade, apesar de também estar consciente que não será a panaceia para acabar de imediato e de vez com esta pandemia que tanto nos assola. Ainda vamos, infelizmente, penar durante muito tempo.

É que, com toda a franqueza, por ora já me dava por satisfeito se houvesse vacina para a gripe disponível nas farmácias para quem, como é o meu caso, o médico ache indispensável.

Há dois meses que eu e milhares e milhares de pessoas continuamos à espera da tão imprescindível vacina, a qual, (pasme-se!!!) o governo afirmou, com pompa e circunstância, ir disponibilizar em quantidade tal que dava até para exportar. Mais: incentivou, por todos e mais alguns meios, a toma desta. Bem prega Frei Tomás.

Afinal, nem para metade dos que a deveriam tomar chegou. Recordam-se de Marcelo Rebelo de Sousa, em troco nu, a ter primazia e a incentivar o gesto? Que ele e a ministra da saúde limpem as mãos à parede!

publicado por Hernani de J. Pereira às 20:37

Novembro 11 2020

Recordam-se do que, em tempos, os governantes nos disseram, sobretudo em Julho e em Agosto? Façam férias, desde que seja cá dentro. Não existem problemas alguns de contágio, desde que respeitem o distanciamento social. Ocupem hotéis e restaurantes. Salvem o turismo. É um dever patriótico.

É óbvio que os portugueses, ávidos de gozar o sol e o mar, não se fizeram rogados. Aliás, bem necessitados estavam. Todavia, todos sabíamos que a segunda vaga do Covid-19 não tardaria. Porém, também estávamos convencidos que o governo estava a fazer o trabalho de casa. Não é por acaso que continuam a dizer que não houve férias no combate à pandemia. Vê-se!!!

Agora, apanhados com as calças na mão, por muito que em entrevistas atrás de entrevistas, previamente muito bem combinadas e, por isso, extremamente fofinhas, queiram fazer passar o contrário, aqui d’El Rei há que fechar quase por completo a torneira. E não será completamente porque as escolas não irão fechar. Bem, fechar para quê? Os professores não são carne para canhão?

publicado por Hernani de J. Pereira às 20:15

Novembro 10 2020

Até que enfim. Não vou embandeirar em arco, mas acredito que a vacina, contra o novo corona-vírus, mais mês, menos mês aí estará. Como é evidente, vai ser uma corrida à mesma. Apesar de todos sermos iguais, haverá uns mais iguais que os outros. Na dianteira destes, tenho a certeza, que os estarão os políticos, independentemente da cor e do grau de importância.

Pelo meu lado, deixei, de usar camisa. Assim, quando chegar a minha vez não necessito de me colocar em tronco nu. Onde é que já vi isto?

Apenas espero que não seja como a vacina da gripe. Apesar de receita médica, há mais de um mês que continuo à espera.

publicado por Hernani de J. Pereira às 13:26

Novembro 06 2020

Desde terça-feira passada que não se fala de outra coisa, i.e., das eleições americanas. Não há abertura de telejornal ou primeira página que, dia após dia, senão hora a hora, não retratem a vitória de Biden, como a seguir anunciem Trump como vencedor. É evidente que outro assunto também realça nos noticiários - falo da pandemia provocada pelo Covid-19 -, mas isso são outros quinhentos.

O que realça, porém, para estas parcas linhas são as eleições presidenciais nos EUA. Com toda a franqueza, a nação mais poderosa do mundo, ex-libris em termos de tecnologia, não é capaz de em 24 horas contar os votos e declarar A ou B vencedor? Imaginem que haveria, não dois, mais nove ou dez, como acontece em Portugal. Com o sistema que têm demoraria meses. Bem, aqui chegados, há quem defenda que a América necessita exactamente desse número de candidatos, pois se assim fosse o processo há décadas que seria muito mais célere.

Como é evidente, se os europeus pudessem votar, Biden teria sido eleito no próprio dia, independentemente do complexo sistema eleitoral .

publicado por Hernani de J. Pereira às 19:42

Novembro 03 2020

Todos, sem excepção, em cada instante temos uma posição mais ou menos conhecida, mas de modo algum rigorosa. Sim, uma vez a nossa posição – falo do carácter e da ética - não poder ser medida em centímetros, nem decímetros ou até nem em metros.

É verdade que, e ainda bem, não dispomos uma tecnologia de vanguarda que actualize constantemente os dados relacionados com as “infra-estruturas” humanas que nos rodeiam. Por isso falhamos tantas vezes? Sim e ainda bem. Navegamos à vista e ninguém possui GPS que nos possa guiar, de forma óptima, por esta ou outra via.

Avançamos e recuamos constantemente. Mente quem diz que sempre seguiu o mesmo caminho. Fazemos ziguezagues constantes e muitas das vezes damos um passo è frente para a seguir dar dois passos atrás.

Por outro lado, aquele que diz ter sido sempre coerente ou é santo ou não viveu. Mentir e/ou ser incoerente todos fazemos. O que nos distingue é o grau e mesmo este é relativo.

publicado por Hernani de J. Pereira às 13:17

Novembro 01 2020

O tempo cinzento não ajuda, bem pelo contrário. O dia de hoje, visita quase obrigatória aos cemitérios, já de si lúgubre, uma vez lembrar-nos os nossos entes queridos que partiram, antes de nós, a caminho do Pai Celeste, hoje foi de colocar as mãos à cabeça e proclamar: “ o que mais nos falta acontecer?”. Ao contrário dos anos precedentes em que se via uma multidão de gente a visitar, chorando lágrimas de saudade(!!!), a campa dos familiares, hoje não passavam de meia-dúzia de pessoas, pelas dez horas da manhã, após a missa, todas receosas, a olhar por cima do ombro e não só, não fossem algumas delas transmitir o “bicho”. Sim, ele não se vê mas, sobretudo por culpa nossa, continua a andar por aí e cada vez mais activo.

Se esta situação já, per si, é de lamentar, não é menos o facto de uma pessoa trabalhar duramente durante toda a semana, incluindo o sábado, e, por isso, achar perfeitamente natural que, ao domingo, tudo faça para “desopilar”. Dar uma volta, vistando este ou aquele lugar, evitando, como é lógico, os grandes ajuntamentos, e, uma vez por outra, almoçar fora. Ajuda a psique e revitaliza o comércio. Sem grandes alardes e muito menos fins-de-semana em hotéis e/ou resorts, manda a verdade dizer que um dia em cada sete não fazer a refeição diária, não é um luxo, é uma necessidade. Todavia, até isso, hoje em dia, nos está vedado.

Sim, bem sei que tudo descamba nesta maldita pandemia. Este texto não lhe fica atrás. Mas, de que outro assunto podemos falar? De política? De desporto? Desgraças ainda maiores! Aliás, não é por caso que ultimamente nada tenha escrito. Pessimista? Muito longe. Diria, antes, realista.

publicado por Hernani de J. Pereira às 18:26

Análise do quotidiano com a máxima verticalidade e independência possível.
hernani.pereira@sapo.pt
Novembro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
13
14

15
16
18
19
20
21

22
23
25
27
28

29
30


arquivos

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO