O meu ponto de vista

Agosto 31 2018

transferir.jpg

Gasto os últimos cartuchos. Hoje termina o bem-bom, que é como dizer acabam as minhas férias. Curtas, é certo, mas muito proveitosas. A companhia de pessoas amigas, os dias de praia com a minha neta, bem como os encontros com os familiares foram, sem dúvida, os momentos altos destas semanas tão importantes para o retemperar de esperanças. Instantes e ocasiões cada vez mais necessários para enfrentar os próximos onze meses.

Restam dois dias – fim-de-semana – para me preparar psiquicamente com vista a enfrentar o novo ano, já que segunda-feira, como se dizia antigamente, é dia de pica-boi.

Não é como à quarenta anos, mas ainda hoje existe alguma ânsia, emoção até, em saber quais os anos de escolaridade que se irá leccionar, as disciplinas que serão atribuídas, sem esquecer a característica dos alunos e, sobretudo, o horário semanal. Tantas incertezas que também dão um sabor especial aos dias de início do novo ano lectivo.

publicado por Hernani de J. Pereira às 21:46

Agosto 21 2018

transferir.jpg

Interrompo este interregno de artigos, indo contra o que prometi aos meus caros leitores, em face do surgimento de um caso excecional.

Ontem, foi daqueles dias em que andei de um lado para o outro e pouco parei nos Banhos. Por isso, só cerca das 23H00, através de uma breve notícia inserta numa rede social, a qual, ainda para mais, era escassa em pormenores, soube da infausta notícia. Tinha falecido a minha antiga professora primária. Sim, D. Manuela Violante da Cruz, durante muitos e muitos anos docente neste lugar, tinha-nos deixado.

Como é óbvio, em face do adiantado da hora, não pude confirmar aquela má nova. Hoje, logo que amanheceu, liguei para familiares directos e aí as lágrimas rolaram. Tanto mais que, por desconhecimento, nem ao funeral, ocorrido na tarde ontem, fui.

Sim, eu bem sei que ainda anteontem, a vi na missa dominical e, por isso, muito longe de imaginar tal desfecho. Não necessito de dizer que se num momento estamos vivos, no seguinte pode surgir a chamada do Altíssimo. Então, quando se tem a provecta idade de noventa e tal anos esse risco é exponencial.

Foi com esta extraordinária docente que aprendi as primeiras letras. E como ensinava bem. Muito exigente, com profundos conhecimentos e, sobretudo, sabendo tirar partido do melhor dos seus educandos. Foi com ela que também saboreei algumas reguadas – poucas, diga-se em abono da verdade. Aliás, bendito castigo, pois ensinou-me o caminho do bem e, sobretudo, a dedicação ao esforço para me tornar melhor.

Foi ela que no final da quarta classe – era, assim, a sua designação naqueles tempos da década de sessenta – insistiu com os meus pais para que me proporcionassem a continuação dos estudos. Eram muito poucos, mas mesmo muito poucos, os que usufruíam dessa prerrogativa. Dizia ela repetidamente aos meus pais: “Manuel e Laura deixem o rapaz continuar os seus estudos, pois é inteligente e tem capacidades para chegar longe”. Isto é textual, não mera gabarolice, uma vez ter assistido às conversas. Pelo seu lado, os meus progenitores contrapunham: “ mas, D. Manuela - como carinhosamente a tratavam, pois também era aqui casada - como podemos colocá-lo a estudar se não somos ricos?” De modo algum temos dinheiro para a mensalidade que o Colégio de Anadia cobra. Relembro que nesses tempos era o único estabelecimento de ensino secundário existente neste concelho. E como era privado … Até que um determinado dia, ela avançou com nova ideia: “apesar do Hernâni – conhecia-me muito bem - ter maior apetência para as ciências e/ou humanidades, matriculem-no na Escola Industrial de Cantanhede, pois é de ensino gratuito. Bem sei, que se trata de instrução técnica, cujo objectivo é colocar os jovens no mundo do trabalho empresarial o mais cedo possível, mas sempre é melhor que ir para as obras ou para a vossa pequena agricultura, a qual mal dá para o pão de cada dia. Depois logo se verá qual o seu futuro.”

E foi, muito graças a ela, que me tornei no homem e profissional que hoje sou. Se não sou melhor ou não cheguei mais longe, apenas me posso culpar a mim. Desta magnífica instrutora e dos meus saudosos e queridos pais tudo de bom recebi. É certo que muita coisa aproveitei, mas por minha culpa, máxima culpa, outras não aproveitei.

Sempre que podia e ocasião proporcionava cumprimentava-a. Um encanto, uma simpatia e sempre um gosto em recordar velhos tempos. Principalmente desejosa em saber o que este vosso escriva fazia actualmente.

Há cerca de vinte anos, pouco depois da sua aposentação, ainda cheguei a falar com algumas pessoas para que se organizasse um evento que prestasse publicamente a justa homenagem a tão insigne mestra. Uma pessoa, entretanto também já falecida, desaconselhou-me a tal, afirmando que não contasse com ela para tal. Bem, todos temos sempre alguém que não gosta de nós. Esmoreci e hoje, com toda a sinceridade, sinto-me enormemente arrependido.

Do mais fundo da minha alma – escrevo com os olhos rasos de lágrimas – peço a Deus que a perdoe e que rapidamente a receba em Seus braços, se é que já não o fez. Por acreditar piamente, sei que um dia nos voltaremos a encontrar.

Aos familiares, uma vez que por desconhecimento não estive presente nas exéquias, repito, apresento as mais sentidas condolências.

Prometo, a não ser que algo muito forte o impeça, estar na missa do sétimo dia, a realizar às 21H00, na Igreja Matriz de Bolho, concelho de Cantanhede, na próxima terça-feira, dia 28.

publicado por Hernani de J. Pereira às 09:34

Análise do quotidiano com a máxima verticalidade e independência possível.
hernani.pereira@sapo.pt
Agosto 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
22
23
24
25

26
27
28
29
30


arquivos

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO