O meu ponto de vista

Março 31 2018

images.jpg

O exame de amizades e/ou amores “eternos”, proclamados e prometidos, e em seguida não correspondidos ou traídos, é uma bagagem que levamos connosco como desilusão da parte dos outros. É a prova humilhante da comprovação dos nossos limites e contradições de todo o tipo. Quantas vezes verificámos a nossa aleivosia neste campo!

Também, e mais ainda, no plano da Fé, existe essa infidelidade e incoerência. Por um lado, dizemo-nos cristãos e, por outro, vivemos à margem ou contra os desejos e as propostas do Mestre.

O Senhor, porém, que conhece em profundidade a nossa vida, muitas vezes, contraditória, não nos trata como merecem as nossas ofensas, mas, sim, misericordiosamente, e o abraço da amizade renovada espera-nos sempre.

publicado por Hernani de J. Pereira às 17:05

Março 30 2018

images.jpg

As nossas vidas estão povoadas de presenças e marcadas por contínuos encontros. Presenças visíveis e próximas como a da mãe que vela e protege o seu menino, e outras, invisíveis, que se encontram para além e independentemente das distâncias.

Presenças e encontros que dão sossego, segurança e alegria, bem como outras que causam inquietação e angústia. Encontros rotineiros e imprevistos, e encontros esperados, preparados e muito desejados, como foi e continua a ser a Paixão do Senhor.

Estas experiências humanas levam-nos a perceber a outra realidade, aquela que se fundamenta no plano da Fé

publicado por Hernani de J. Pereira às 22:20

Março 30 2018

transferir.jpg

A nossa resposta deve ser sempre dirigida a uma Pessoa e não a princípios ou ideias abstractas. Todas as vocações devem estar orientadas para uma missão. O chamamento de Jesus surpreende-nos. É uma irupção de Alguém na nossa vida quotidiana – trabalho, interesses … - e desinstala-nos. “Levantou-se, deixou tudo …” (Mt 9,9).

Este tempo supõe disponibilidade para seguir rumos ainda que desconhecidos, dos quais só Deus sabe. São tempos de assinar um “cheque em branco”, com a certeza absoluta que esse gesto será fecundo, recompensado e, sobretudo, gratificador.

publicado por Hernani de J. Pereira às 17:37

Março 28 2018

DSC_0016.JPG

Têm sido dias de muito labor. Labuta que bem estava a necessitar, tanto física como psiquicamente. Enormemente fatigado, mas simultaneamente com uma satisfação interior do tamanho do mundo. Hoje, para variar, tive a contribuição de um jovem. E em boa hora o convidei.

Ajudar os jovens a despertar para a necessidade de tomarem decisões quanto ao seu futuro académico ou laboral foi uma preocupação constante ao longo dos últimos quarenta anos. Umas vezes pensamos que os jovens de hoje são melhores que os de outros tempos, i.e., que são mais rápidos e mais eficazes. Outras, porém, cogitamos o contrário.

Então, o que envolve as aludidas gerações? O tempo, é a resposta. Não falo só do tempo enquanto metáfora cronológica, falo do tempo relacionado com factores culturais vigentes num dado momento histórico, falo do tempo enquanto tecnologia disponível e velocidade de comunicação.

Não podemos mudar as experiências de vida das pessoas, mas podemos trabalhar para que as atitudes no ambiente de trabalho e as expectativas delas sejam as melhores possíveis.

publicado por Hernani de J. Pereira às 21:03

Março 23 2018

transferir.jpg

A questão da precaridade no emprego não é de agora. Há muito que é falada. Hoje, porém, começa a tomar outros contornos, apesar da controvérsia gerada. Há cerca de há dois anos a afirmação de que é preferível ser trabalhador temporário a estar desempregado incendiou o debate político da altura.

É uma verdade irrefutável que um posto de trabalho para a vida inteira é um conceito longínquo, do tempo em que a estabilidade dominava o mercado de trabalho.

Nos últimos quarenta anos, o conceito do trabalho foi-se alterando à medida em que a garantia de emprego, um vínculo estrutural nas relações laborais, desaparecia na voracidade da redução de custos. Mau grado as consequências, económicas e sociais, da precaridade laboral é forçoso constatar que, nos dias que correm, o reinado do trabalho sobre o emprego se tornou um denominador comum. Digo tudo isto diariamente aos meus alunos, amanhã técnicos.

A transformação das sociedades onde o trabalho se tornou um recurso volátil e escasso, substitui a confiança pelo permanente confronto dos interesses antagónicos que regem, nas economias desenvolvidas, a sustentabilidade das relações laborais. A lógica do trabalho temporário depende da existência de um Estado regulador a quem compete gerir o delicado equilíbrio de interesses – repito, económicos e sociais – num dos sectores que, diariamente, mais postos de trabalho cria em todo o mundo.

Por fim, será de bom tom afirmar-se que competirá à ACT zelar escrupulosamente para que as organizações proporcionem aos colaboradores, independentemente do tipo de vínculo laboral, a igualdade possível das condições salariais, direitos, regalias e oportunidades de carreira

publicado por Hernani de J. Pereira às 21:22

Março 21 2018

transferir.jpg

Mário Centeno pediu, por várias vezes, bilhetes ao Benfica, clube que tem um vastíssimo contencioso com as finanças, para assistir, de camarote, aos jogos deste. Argumenta que face à figura que é, com os riscos de segurança inerentes a tal função, não pode ir para o meio do people. Lá saberá porque é que o comum dos mortais o tem em tão má estima. Por exemplo, o Marcelo Rebelo de Sousa não teria problema algum. Até adoraria e seria adorado.

Soube-se agora que António Costa também solicitou bilhetes para o Estádio da Luz. Só que foi para os filhos. E ninguém se revolta com esta promiscuidade? Há direito de usar um cargo para favorecimento da família?

O que diriam se fosse o Passos Coelho?

publicado por Hernani de J. Pereira às 21:36

Março 20 2018

transferir.jpg

O primeiro-ministro considerou na semana passada, a propósito dos incêndios, que um dos maiores problemas do país é a "péssima qualidade" da sua informação, dizendo que apenas desperta para os problemas no meio das tragédias, esquecendo-se da prevenção.

Críticas proferidas por António Costa na parte final do debate quinzenal, na Assembleia da República, após uma intervenção do deputado socialista José Miguel Medeiros sobre medidas em curso para a prevenção e combate aos incêndios florestais.

Antes, aquele deputado e ex-secretário de Estado tinha defendido a acção do Governo em matéria de prevenção e combate aos fogos, numa intervenção em que sustentou que a prioridade "tem de ser dada à reforma da floresta".

Agora, imaginem o homem como primeiro-ministro de um governo maioritário. Um segundo Sócrates, mas muito mais sagaz. Aliás, não foi por acaso que foi excelso delfim no governo deste. Recordam-se?

Igualmente para os mais esquecidos, relembro que o ex-primeiro-ministro, face a uma comunicação social independente, também tinha um plano para a controlar, começando pela aquisição abusiva da TVI.

publicado por Hernani de J. Pereira às 14:08

Março 19 2018

transferir.jpg

Ano após ano, década após década, o número dos “resistentes” é cada vez mais baixo. Os jovens procuram outras paragens, sobretudo os grandes centros urbanos do litoral, deixando aldeias, solos e paisagens votadas a um abandono profundamente desertificador em termos humanos, económicos e ambientais.

São muito poucos aqueles que se podem classificar como instrumentos de futuro. Não são certamente muitos e nem os únicos, mas são uma garantia para aqueles que ficarem, uma aposta para os quiserem regressar e uma oportunidade para os que se vierem instalar.

Estas terras bairradinas são grandes e grande é também a vontade de crescer, razão pela qual tem vindo a recolher, junto da população, um forte desejo de concretização, uma concretização quantas vezes interrogada, tantos foram os avanços e recuos ao longo de décadas.

Hoje, porém, estamos em condições de reafirmar o que ficou dito há muitos anos atrás: a Bairrada - principalmente os seus vinhos - é irreversível. Hoje também começam já a revelar-se novas dimensões agrícolas e turísticas, duma região capaz de desenvolver num contexto de equilíbrio ambiental e social.

Neste momento quero deixar duas palavras de agradecimento. Em primeiro lugar aos meus pais, pois foram os pioneiros na estrutura do meu ser enquanto amante deste “sujo” que lava, que é a agricultura. Depois, uma palavra de esperança e de confiança num futuro certamente melhor. A criação de um espaço digno e com novos horizontes, onde os meus vindouros irão ter um papel decisivo naquilo que será o futuro. E não é muito diferente daquilo que queremos todos … uma vida digna, onde o “amanhã” deixará de ser uma incógnita e o “hoje” se viverá com maior intensidade.

publicado por Hernani de J. Pereira às 11:29

Março 16 2018

transferir.png

Escrever sobre política? Sobre educação? Não. Hoje estou numa de negação. Nada me satisfaz e, como se dizia há umas dezenas de anos, nem a maldita cocaína me satisfaz. Eu, que nem um cigarro fumo.

Há momentos na vida assim. Autênticas páginas em branco. Não é a primeira vez, mas hoje parece pior. Valha-me o que, um dia, Kandinsky, introdutor da abstração no campo das artes visuais, disse: “uma tela ou folha de papel em branco é sempre melhor que outra alegadamente pintada ou escrita”.

publicado por Hernani de J. Pereira às 21:12

Março 15 2018

images.jpg

Os professores estão em greve. Bem sei que pouco se nota, não devido à inexistência de motivos fortíssimos para levar toda uma classe a aderir a tão drástica forma de luta, mas sobretudo por outros factores, entre os quais destaco: escassa mobilização, descrença da maioria dos docentes nos dinossauros que regem os sindicatos, consternação face às forças políticas que nos governam e/ou sustentam parlamentarmente estas, desânimo capitaneado por um nível etário muito elevado e, não menos importante, o momento escolhido, i.e., época de testes de fim-de-período.

Ora, o resultado no dia-a-dia das nossas escolas da presente luta, deve levar os sindicatos a ponderarem muito bem sobre a sua postura, principalmente nestes dois últimos anos. O companheirismo com o poder, para não dizer conluio – para muitos não tem passado de traição – tem levado muitos professores a descrerem totalmente das intenções daqueles, levando-os a dessindicalizarem-se, como, aliás, foi o meu caso. Por isso, o rejuvenescimento destas estruturas representativas é absolutamente necessário.

publicado por Hernani de J. Pereira às 20:20

Análise do quotidiano com a máxima verticalidade e independência possível.
hernani.pereira@sapo.pt
Março 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
17

18
22
24

25
26
27
29


arquivos

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO