O meu ponto de vista

Abril 28 2017

Quem me conhece ou lê sabe que não morro de amores por este governo e muito menos por António Costa, isto sem prejuízo de achar a sua sagacidade digna de nota. Transformar uma derrota em vitória, para além de diariamente se entender com alguém(s) que, em muitos aspectos, está nos antípodas daquilo que pensa e faz é obra, demonstrando, deste modo, possuir um contorcionismo excelente.

Colocados os pontos nos is, não entendo muito bem a "histeria" instalada – mais alimentada pelos media que outra coisa – sobre a tolerância de ponto dada à função pública no próximo dia 12 de Maio, aquando da visita de Francisco a Portugal. Bem sei que o ateísmo e agnosticismo são “espécies” de doutrinas que têm vindo, ultimamente, a ganhar terreno e, nessa ordem de ideias, não são assim tão poucos aqueles que defendem a radical separação, i.e., clara e unívoca, entre o Estado e as confissões religiosas, neste caso a Igreja Católica.

Invocam uns a laicidade do Estado, enquanto outros, porém, defendem que nos tempos que correm irmos para a terceira semana seguida em que apenas se trabalha quatro dias não é de modo algum curial. Esquecem-se, todavia, que um governo deve, em princípio, trabalhar tendo em conta o interesse da maioria dos cidadãos. Ora, acontece que é indesmentível que a larga maioria dos portugueses, para desgosto daqueles, professa e está de acordo com os ditames da Fé Católica, pelo que ir ao encontro das pretensões desta é, sem receios de exagerar, exercer a democracia.

Aliás, muitos daqueles que hoje vociferam contra tal medida aplaudiram o regresso – em massa, acrescento eu – dos quatro feriados em 2011 suspensos.

Bem sei que esta iniciativa tem algo de demagógico, de populista e sobretudo apresenta laivos de eleitoralista. Contudo, só se deixa enganar quem quer!

publicado por Hernani de J. Pereira às 20:09

Abril 27 2017

Recordam-se de um ministro – da Agricultura, é o caso - de um governo socialista que participou numa manifestação contra a política seguida pelo seu ministério? Pois é! António Costa, hoje em dia, está na mesma, i.e., defende publicamente a reposição da justiça nas reformas e escalões de IRS. Igualmente reputa de fundamental o descongelamento dos salários. Todavia, nada faz num sentido nem noutro.

Só falta agir como o dito governante, de seu nome Jaime Silva, ou seja, participar numa ou noutra manifestação reivindicativa, já que greve não pode exercer. Os sindicatos, esses, pelo seu lado e por aquilo que se vê, encontram-se perfeitamente satisfeitos com a situação económica e social dos trabalhadores.

publicado por Hernani de J. Pereira às 19:27

Abril 25 2017

images.jpg

Não andei de cravo vermelho, nem na lapela nem na mão, mas colhi, no meu quintal, uma bela alface para acompanhar o almoço. Sim, passei o dia inteiro na agricultura, uma vez que nas zonas rurais este é um dia de trabalho como foi o de ontem e como será o de amanhã. Com esta atitude não pretendo criticar quem optou por passar o Dia da Liberdade em manifestações públicas. Cada um comemora conforme muito bem entende. É a Liberdade!

Neste dia fico sempre chocado por constatar termos conseguido o mais difícil – a conquista da Liberdade -, falhando, porém, na construção de um enquadramento propício ao seu aproveitamento, ou seja, um ambiente em que do ponto de vista fiscal, jurídico, económico, entre outros, todos pudéssemos prosperar de forma saudável, acolhendo e beneficiando do activo que representou a geração pós-25 de Abril.

Séneca dizia “não nasci destinado a nenhum lugar: a minha pátria é o mundo inteiro”. Todavia, estou certo, que se referia a outra dimensão humana.

publicado por Hernani de J. Pereira às 21:44

Abril 21 2017

Tem-se, nos últimos tempos, registado descrispação e descendimento na sociedade? É evidente que sim. Os motivos são fáceis de entender. Por um lado, porque o governo atendeu algumas das reivindicações dos trabalhadores, fundamentalmente do sector público; por outro, porque os sindicatos, os quais como é do conhecimento geral, são comandados pelo PCP, encontram-se anestesiados, por via da amarração deste partido à política geringonçal.

Assim, não é de estranhar que a maioria dos portugueses e até muitos empresários, os quais, de modo algum, comungam das ideias programáticas dos partidos que suportam este governo, se sintam satisfeitos.

Recordam-se das greves, mandatadas por tudo e por nada, sobretudo do sector dos transportes, os quais colocavam sistematicamente o país de pantanas? Pois é! Existiram e infernizaram a vida de muita gente, principalmente a que vive e trabalha nas grandes cinturas industriais. Agora é a paz dos anjos.

O governo de Passos Coelho foi acusado, até à insanidade, de querer ir além da troyka. Não se falava de outra coisa. Bem, este governo foi além dos ditames da CE – veja-se a questão do défice -, demonstrando, pelo menos nas reuniões em Bruxelas, que é um “bom aluno”, e o que acontece? Uma declaração ou outra, perfeitamente inócuas, por parte do BE e do PCP, de modo a que, de hoje para amanhã, não se diga que nem a boca abriram.

Protestos, acções de rua, manifestações é de vez em quando e quanto muito para que se diga que os sindicatos ainda existem e justificar (mal) o muito dinheiro que recebem. Greves? Nem falar nisso é bom. Até arrepia aqueles que ainda há tão pouco tempo faziam prática disso vinte e quatro sobre vinte e quatro horas.

Atente-se nestes dois exemplos. Ontem, António Costa afirmou que, devido à sustentabilidade da segurança social, não podia permitir que os trabalhadores com quarenta anos de desconto se pudessem reformar sem penalização. O Programa de Estabilidade e Crescimento não prevê qualquer actualização salarial dos funcionários públicos durante os três próximos anos. Colocadas estas questões à vista de toda a gente, observaram alguma indignação? O que aconteceria se fosse o PSD a governar?

publicado por Hernani de J. Pereira às 20:18

Abril 19 2017

Pois é! Os próprios dizem que estavam bem, mas existe sempre quem, ainda que sem base sustentável, diga o contrário. São os grandes "educadores do povo"! Mais satisfeitos com a vida, mais motivados, menos sujeitos a bullying, mas mais ansiosos quando chegam aos testes. É assim que surgem os estudantes portugueses de 15 anos avaliados pelo PISA 2015 (Programme for International Student Assessment), quando comparados com os alunos dos restantes países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE). Depois de ter ficado à frente da média no desempenho a ciências e leitura, Portugal volta a apresentar bons resultados em matérias de bem-estar.

Apesar da crise que tanto afectou os portugueses, fundamentalmente durante a estadia da troyka, e mesmo após o desvario que foram os governos de Sócrates, os desafios acrescidos solicitados aos alunos levaram-nos a combater positivamente a instabilidade provocada pelos políticos. Senão todos, pelo menos a maioria.

Os tempos de incerteza foram-se com o fim do período de resgate. Por isso, o caminho seguro estava traçado e seria, sem dúvida, um aliado indispensável no progresso dos rankings internacionais. tenho muitas dúvidas que a próxima amostragem frutifique como até agora.

publicado por Hernani de J. Pereira às 16:24

Abril 17 2017

images.jpg

A tradição cumpriu-se uma vez mais. Não como um hábito banal. Bem pelo contrário. Tratou-se de algo sincero, devidamente apreendido e com enorme significado.

Jesus Cristo Ressuscitado entrou, hoje, aqui em casa, abençoando-a, bem como a todos os presentes.

Ah, já agora, não é demais dizer que o repasto não foi de somenos importância. Assim, depois de umas favas com entrecosto e morcela, servindo de entrada, uma sopa de legumes aconchegou o estômago preparando-o para algo mais substancial, o rei-leitão. Quentinho, com a pele a estalar como é de lei, foi magnificamente apreciado, acompanhado de um espumante bruto blanc de noir da Murganheira. Os muitos doces é que eram perfeitamente dispensáveis. Todavia, não pode haver mesa de Páscoa sem eles!

publicado por Hernani de J. Pereira às 20:50

Abril 16 2017

DSC_0013.jpg

Anunciámos, Senhor, a Vossa morte,

Proclamamos a Vossa Ressurreição,

Vinde, Senhor Jesus.

 

ALELUIA, ALELUIA, ALELUIA

 

Uma Santa e Feliz Páscoa

publicado por Hernani de J. Pereira às 10:53

Abril 15 2017

DSC_0012.JPG

Qual de nós não fez já a experiência da alegria

de participar o nascimento de um filho …

de passagem naquele exame …

de comunicar os projectos de uma viagem …

de dar notícias do bom andamento de um negócio …

de anunciar o regresso de Alguém muito querido?

publicado por Hernani de J. Pereira às 19:59

Abril 14 2017

DSC_0013.JPG

Tal como S. Paulo também digo:

Não faço o bem que quero ...

mas o mal que não quero!

Perdoa-me meu Deus, meu Pai e meu Senhor.

 

publicado por Hernani de J. Pereira às 22:35

Abril 13 2017

DSC_0012.JPG

“Uma mesma santidade é cultivada por todos aqueles que nos vários géneros de vida e nas diferentes profissões, são guiados pelo Espírito de Deus e, obedecendo à voz do Pai e adorando-O em espírito e verdade, seguem Cristo pobre, humilde e carregado com a cruz, para merecerem participar na Sua glória.

Cada um, segundo os dons e as funções que lhe foram confiadas, deve enveredar sem hesitação pelo caminho de fé viva, que excita a esperança e opera a caridade.”

LG.41

publicado por Hernani de J. Pereira às 21:52

Análise do quotidiano com a máxima verticalidade e independência possível.
hernani.pereira@sapo.pt
Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12

18
20
22

23
24
26
29

30


arquivos

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO