O meu ponto de vista

Fevereiro 28 2010
DSC00447.JPG(Dez. 09)

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 21:05

Fevereiro 27 2010
Recordo, com saudade, dias passados. Decorriam com tal celeridade que, por muito que nos esforçássemos, não os conseguíamos segurar.
O ar soltava-se a plenos pulmões, acalmando a ânsia de oxigénio há muito carecido, a disponibilidade completava-se, as promessas eram consumadas, os desejos sublimados eram concretizados, os passeios eram infatigáveis, o desconhecido era protector, os obstáculos eram superados, o já visto e revisto, por vezes sem interesse, adquiria novas roupagens e tornava-se belo, a descoberta era contínua, a exultação contagiava, o voo das aves adquiria renovados contornos, desenhados num céu azul, aqui e além, salpicado por farrapos de nuvens altas, e o sol resplandecia com outra intensidade e tonalidade.
Será que se pode ler o futuro no passado?

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 15:25

Fevereiro 26 2010
A maior parte das famílias portuguesas têm o seu mecânico, o seu cabeleireiro, o seu médico e algumas até o seu psicólogo. Mas o que têm a nível da educação dos seus filhos?
Pois bem. Para responder é necessário perceber quais são as necessidades educativas das famílias, de modo a segmentá-las, tentando, em seguida, apresentar a melhor solução para os seus problemas. Isto, obrigatoriamente, deverá permitirmo-nos enquadrar soluções interessantes para nós, e ao mesmo tempo para os nossos parceiros, efectuando operações de qualidade, ou seja, operações enquadradas dentro dos objectivos de todos.
O grande objectivo da Escola é encontrar a melhor formação para os alunos. Estamos a entrar num novo ciclo de cultura e num novo entendimento do que é a Escola. E, nisto, somos diferentes porque qualificamos e bem os nossos alunos, encontrando, por isso, os melhores resultados?
Outra grande prioridade é actuar a montante, ou seja, agir antes que as coisas aconteçam. Actuar de forma preventiva. Queremos que a nossa actuação seja entendida não como algo que se dirige apenas a pessoas que estão em situações muito complicadas, mas sim que aconselhe sobre os melhores passos a seguir antes da tomada de decisões.
Assim, no terreno da iniciativa empreendedora, há que encontrar um outro olhar que melhor consiga conjugar todos os ângulos que possam convergir para as soluções. É na vertente, a da organização interna, que se devem projectar as soluções para enfrentar os desafios da auto-regulação, tendo sempre presente a capacidade de resposta em matéria de formação permanente. O assumir como uma mais-valia insubstituível e, por isso, também motivo de celebração deve ser constante.
Em conclusão, indago: o que estamos a fazer é adequar as soluções que desenvolvemos às necessidades dos nossos alunos?

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 21:14

Fevereiro 25 2010
DSC00466.JPG
Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 20:33

Fevereiro 25 2010
Conhecemos em nosso redor, como em muitos outros lados, pessoas que são brilhantes, autênticas e honestas, de facto. Porém, a maior parte das vezes, por modéstia, escondem essa faceta, para não «macular» os que por tudo e por nada, à boca pequena e cheia, dizem que o são, pese, embora, não o serem. E estas, como que assumindo a hipocrisia social da mulheres que fingem desconhecer a existência das amantes dos maridos, ou vice-versa, não se coíbem de pedir a colaboração daquelas para todos os efeitos e mais alguns.
Esta é uma prática que urge inverter, a bem de um modo de ser transparente, saudável e competitivo, mas também em defesa do próprio interesse público.
É, pois, imperioso inverter este trajecto de declínio moral e criar condições para que a construção afectiva possa assumir o motor do relacionamento interpessoal. Para que isso aconteça, todas os projectos são importantes, sejam eles públicos ou privados, de maior ou menor dimensão, tenham ou não notoriedade.
E o certo é que, por muito que determinados projectos compreendam a inclusão de generosas «áreas verdes, jardins luxuriantes» e até, aqui e além, «fontes naturais esculpidas por nascentes e lagos», isso, mesmo assim, não satisfaz algumas pessoas.
Aliás, o caminho cerimonial e/ou reverencial que estas exigem, é devidamente delimitado, e não só quer transmitir – o que à priori não tem - grandiosidade à chegada, como pretende dar nobreza à saída. Este caminho, por muito que seja emoldurado por «malmequeres», e absorvendo, inclusive, outras fragrâncias, é um conceito «déjà-vu», com um cariz permanentemente já visto, fazendo da propalada monumentalidade algo em constante ruínas.
Ah, que pobreza de espírito!

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 20:22

Fevereiro 24 2010
Nos dias que correm, parafraseando aquele feliz e antigo slogan publicitário a lembrar que «circular é viver», bem poderíamos repetir que, na actual conjuntura, pela maioria dita e sentida como extremamente difícil, dar é viver e que nem sempre a cura está no excesso de cuidados e na multiplicação de «caldos de galinha». Bem pelo contrário. Por vezes, a sobrevivência, a recuperação, implica o risco da doação: um risco sempre calculado, devo reconhecer, mas jamais a falsa segurança da ausência de riscos.
O romantismo que anima a dádiva, mantém a reabilitação e leva-nos à mais pura traça original, proporcionando vários percursos optimistas, isto é, recorrendo ao clássico «dever cumprido», para descanso das nossas almas, e, ainda, «miradouros» para vermos mais além.
Sei, por experiência própria, que não devemos deixar nada ao acaso. Devemos procurar e aceitar, interna e externamente, a oferta. Ora, isso «obriga-nos» a uma dedicação «premium», privada e/ou pública, mas sempre pessoal. Consegue-se, assim, o agrado, sem pretensões a ser considerado o «centro do Mundo», mantendo, contudo, uma qualidade de vida de quem é colocado no centro de tudo.
Não existem dois casos iguais, mas tão importante como ter momentos exclusivos é saber que eles se inserem num todo harmonioso. Aliás, é relacionando-nos deste modo com os outros que podemos ter a certeza que os nossos sonhos assentam arraiais.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 20:22

Fevereiro 24 2010
DSC00473.JPG(2004)

Filomena Praça
publicado por Hernani de J. Pereira às 15:29

Fevereiro 23 2010
DSC00361.JPG
Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 22:53

Fevereiro 23 2010
Não se pode pensar, hoje em dia, que cada um de nós possa cobrir, de forma genérica, as diferentes especialidades de uma intervenção. Somente pessoas com um rol de competências multidisciplinares pode ambicionar intervenções mais abrangentes, mas, mesmo assim, nunca universais.
Aliás, esta tendência vem-se acentuando e, até, reforçando. Assim, não admira os desafios da formação e da inovação, nos domínios da competência própria, que estamos, quotidianamente, sujeitos, entendendo-se que a auto-regulação deve existir e ser a mais objectiva possível, sem isso significar que a mesma vá até à exaustão de todos os passos dos processos.
Nascemos de uma estrutura reduzida, crescemos de forma gradual e penetramos na sociedade de modo diverso, mesmo que, eventualmente, se verifiquem alguns sobressaltos. Conjunturais, quanto muito, digo eu.
Passados vários anos, tomamos a atitude mais ousada, isto é, entramos no mundo do trabalho, aderindo às novas tecnologias e novas tendências, com uma actuação mais voltada para a contemporaneidade e com um «target» de posicionamento do nosso valor.
Todavia, por vezes, surge a necessidade de reformar, rejuvenescendo-nos. Podem ser momentos mais ou menos terríveis, pois torna-se imperioso limpar “algumas gorduras” e adaptarmo-nos às regras do dia a dia.
Por outro lado, existem outras pessoas que, apesar de também terem uma intervenção em projectos estruturais, podem, contudo, não ser tão afectadas, na medida em que, alguns dos eventos em que participam já anteriormente tinham sido lançados, permitindo, assim, uma outra dinamização.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 22:35

Fevereiro 22 2010
DSC00454.JPG
Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 22:21

Análise do quotidiano com a máxima verticalidade e independência possível.
hernani.pereira@sapo.pt
Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

14
15
16




arquivos

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO