O meu ponto de vista

Novembro 18 2009
Pensar unicamente em mim?
Sim! Porque não?
Os outros?
Tê-los em consideração?
Mil vezes não!
Criticar tudo e todos
Implicar por tudo e por nada
Qual a dúvida?
Com a minha certeza qualificada
Face à minha superior gnose
Como ousam não me apreciar?
Ah, espíritos mesquinhos …
Oh, quanta incompreensão.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 17:52

Novembro 16 2009
É um facto indesmentível que a actual crise, a qual, diga-se em abono da verdade, não é igual para todos, veio acentuar de forma exponencial o individualismo, agudizando os sintomas provocados pelo nosso egoísmo.
A doação e o pensar no outro parecem, hoje-em-dia, coisas do passado. O considerar que a casa do vizinho necessita mais que a nossa é, salvo raras e honrosas excepções, algo inusitado.
E estamos a falar de algo que nos rodeia, que vemos, sentimos e muitas vezes “odorizamos” diariamente, apesar de olharmos para o lado e encolhermos os ombros, numa atitude do género «não é nada connosco». Por que se começarmos a meditar em locais mais distantes, tais como África, Ásia ou mesmo em países subdesenvolvidos da América Latina, então nem equacionamos sequer.
Todavia, situações existem que, por vezes, nos atingem – pena que sejam raras – com tal violência que mais parecem murros no estômago.
E é contra esta letargia que o Papa, Bento XVI, reafirmou perante a Conferência Anual da FAO – Organização das Nações Unidas para a Fome e Alimentação – a necessidade absoluta de lutar contra a indiferença em que se está a transformar a fome no Mundo.
Preocupamo-nos, e bem, com as questões da ecologia, da liberdade de expressão, do armamento e da corrupção, esquecendo que tais atributos estão indissoluvelmente associados à falta de alimentos para milhões e milhões de nossos semelhantes.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 19:10

Novembro 16 2009
O outro dia soube-se que nas escolas da província espanhola da Estremadura foi introduzido um curso sobre masturbação intitulado “o prazer está nas tuas mãos”, em cujas aulas facultativas irão ser abordados temas como anatomia e fisiologia sexual, técnicas de masturbação e uso de objectos eróticos.
Por cá, hoje, o «Público» deu a conhecer que os presidentes da Refer, da CP e de pelo menos mais uma sociedade pública de transportes terão pago com o cartão de crédito da empresa os almoços de 50 gestores públicos daquele ramo, a 23 de Outubro, durante uma homenagem à então secretária de Estado dos Transportes, a socialista Ana Paula Vitorino.
Esclarece-se, entretanto, que a CP e a Refer, em 2008, tiveram prejuízos, respectivamente, de 190 milhões e 181 milhões de euros. Claro que pagos por todos nós.
Perguntamos: é um completo onanismo ibérico ou é um fartar de vilanagem?

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 17:53

Novembro 15 2009

Já aqui o escrevemos e repetimos. Nunca como agora se ouviu as pessoas exclamarem que nunca trabalharam tanto. Acrescentam, de um modo constante, que andam de rastos e permanentemente cansadas.


Reconhecendo que a maior parte das pessoas que conhecemos trabalham hoje mais que há dois ou três anos atrás, a verdade é que também estranhamos o facto de que, com tanto esforço e dedicação, como é possível o país continuar na cauda da Europa e demorar tanto a sair da crise.


Até apetece dizer como os espanhóis “los trabajos vienen al trote y se van al paso”.


Hernâni de J. Pereira

publicado por Hernani de J. Pereira às 19:03

Novembro 13 2009
A entrevista que ontem a nova ministra da educação, Isabel Alçada, deu à RTP1 não passou de mais uma operação de charme. Sorrisos e mais sorrisos, boas intenções e uma mão cheia de nada.
Factos concretos, dados verosímeis e algo que já não soubéssemos: zero. Fez-nos recordar a resposta que antigamente se dava nos inquéritos judiciais e a outros “aos costumes disse nada”.
Notou-se uma escolha cuidadosa das palavras, de modo a não se comprometer com nada, tentando agradar a gregos e a troianos. Todavia, o valor daquelas para acolher as angústias dos docentes, não permite, pelo menos por agora, criar uma dinâmica social e utilidade cultural que adicione prestígio às escolas.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 20:54

Novembro 13 2009
Depois de termos entrado paulatinamente no esforço comum para um melhor país, de termos implementado, de uma forma apoiada, o rigor e a responsabilidade, é chegada a hora de também outras forças vivas se aplicarem a fundo em continuar a obter o reconhecimento do grande público.
Necessitamos de organizações sustentáveis e sustentadas, com portefólios de ofertas equilibrado, alicerçadas em equipas coerentes, motivadas e conscientes das nossas carências e dos nossos usuários, para que se consiga cumprir os objectivos a que estamos, eticamente e legalmente, obrigados, cientes das particularidades do local onde cada um está inserido.
Há que continuar de forma determinada e com ambição renovada. É imprescindível sentir que chegou o momento de recomeçar a elevar o nome das instituições que servimos, após, como é lógico, as mais diversas fases de implementação. É que, face ao contexto sócio-económico actual, a necessidade de apostar fortemente na reorganização e adaptação daquelas é uma realidade insofismável.
Todavia, a reforma, mesmo sendo apontada por muitos como a solução, não é a panaceia para tudo. E, com grande lamento da nossa parte, o que vemos em cima da mesa não nos levam a tecer grandes augúrios.
Por isso, não resistimos a citar B. Brecht
"Há homens que lutam um dia, e são bons
Há outros que lutam um ano, e são melhores
Há aqueles que lutam muitos anos, e são muito bons
Porém, há os que lutam toda a vida
Estes são os imprescindíveis."

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 18:17

Novembro 12 2009
A estória que a seguir se conta acontece numa escola de um país distante, pertencente a uma galáxia situada nos confins do universo. Qualquer semelhança com alguma realidade conhecida será mera coincidência.
Antes era-se controlador. Que não havia direito de pedir papel, o qual, aliás, nunca foi negado, para que os professores pudessem imprimir o que achassem por bem – às vezes, diga-se de passagem, era muito mal – na sala de professores.
E, verdadeiramente, imprimiam o que muito bem entendiam, a que horas quisessem, sem que houvesse qualquer verificação prévia ou à posteriori.
Hoje, porém, os tempos mudaram. A impressora saiu da sala de professores e a impressão passou a ser directamente canalizada para a reprografia, local onde, antes de se levantar o(s) documento(s), se tem de efectuar o respectivo registo. Para controlo imediato ou futuro, leia-se.
Ora, para além da fiscalização total, há ainda a registar o facto dos docentes apenas terem acesso aos documentos necessários ao seu dia-a-dia no horário da reprografia. Elucidando. Se um professor tiver um espaço de tempo sem actividade lectiva, por exemplo às 12H00, quanto muito poderá mandar imprimir, porque ver o resultado do seu trabalho somente após a reabertura daquele local, ou seja às 13H30. Claro que este exemplo se pode repetir por muitas outras horas.
E, assim, vamos nós. Contentes vamos, rindo e cantando. E assobiando para o lado, fingindo que não é nada connosco. E a falácia de estar sempre, sempre ao lado dos professores persiste.
E, já agora, onde está a indignação?
Um lamento final. Que pena não se ter, em tempos, implementado tal medida, pois assim certos docentes não teriam possibilidade de directamente imprimir testes para os alunos, ainda por cima, quando estavam em plena aula. Contudo, também se sabe que se tal tivesse acontecido teria caído o “Carmo e a Trindade”.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 19:42

Novembro 12 2009
Casamento entre duas pessoas do mesmo sexo? Sim, com toda a certeza! E já agora por que não entre um homem e duas mulheres? E entre uma mulher e três homens? Por que raio é que a poligamia há-de ser descriminada? E entre dois irmãos? Se estiveram de acordo, isto é, for de livre vontade, por que não autorizar?
É que se é para seguir as "regras" da contranatura, então que seja por completo?
Já lá diziam os antigos: “fica-te mundo cada vez pior”.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 12:39

Novembro 11 2009
Mais uma vez as suspeitas contra José Sócrates ficarão por desfazer. O cerceamento da justiça, principalmente no que concerne aos poderosos, se não é total é quase.
Segundo o que a imprensa relata, o presidente do Supremo Tribunal de Justiça, entidade com poderes para aprovar escutas ao Presidente da República, Presidente da Assembleia da República e Primeiro-Ministro, decidiu mandar arquivar as conversas travadas entre Armando Vara e este último, no âmbito da operação Face Oculta, com o argumento de que não foi respeitado aquele princípio legal, isto é, não tinha autorizado previamente tais audições.
Ora, tal fundamento, usando o mínimo de bom senso, cai pela base, uma vez que quem estava a ser escutado, e com a devida autorização de um magistrado, era Armando Vara e não José Sócrates. Como é lógico, quando alguém é escutado todas as suas conversas são gravadas, pois não se sabe, de antemão, a quem vai telefonar. Posteriormente, quem de direito, validará ou não as mesmas, em função do seu estrito conteúdo, e não da existência de autorização prévia. Somente um mentecapto poderá pensar que os investigadores deveriam antecipadamente obter permissão para gravar as conversas do Primeiro-Ministro, já que isso pressupunha que soubessem para quem Armando Vara iria telefonar, o que, diga-se de passagem, é de todo descabido.
A rede tentacular do PS espalha-se por tudo o quanto é sítio. E, sinceramente, já estamos cansados dos argumentos da defesa do bom-nome, do segredo de justiça, da separação de poderes, da presunção da inocência e da inexistência de provas, pois, quanto a estas, a continuar assim, nunca as haverá.

Hernâni de J. Pereira

ADENDA: O artigo ontem aqui colocado levantou alguma polémica, isto de acordo com os comentários que nos chegaram à caixa de correio. Ora, tal é um completo exercício de sarcasmo. Pelo menos é que estava na nossa mente quando o redigimos. Aliás, quem nos conhece não poderá pensar outra coisa. Contudo, somos levados a entender que não fomos totalmente compreendidos e, por isso, aqui fica o cabal esclarecimento.
publicado por Hernani de J. Pereira às 08:38

Novembro 10 2009
Pois é! Perdoem-me, mas existem momentos em que temos, obrigatoriamente, de prestar a nossa solidariedade. Em que não nos podemos calar. É o caso do primeiro-ministro, engenheiro José Sócrates. Reparem que, de propósito, lhe dei o título, o qual, afinal, tanto merece.
Já basta. É que tudo lhe acontece. Que me desculpem os cristãos mais fidelizados mas até os mártires padeceram menos. A comunicação social, essa cáfila de trituradores de homens de boa-vontade, não desgruda. Depois queixam-se do homem não governar. Como pode governar com todos a tentarem-lhe imputar casos e mais casos, os quais, como todo cidadão bem formado sabe, são completamente inverosímeis?
Não acreditam? Então, reparem. É o Freeport, são os projectos de engenharia da Guarda, é o processo do aterro da Beira Interior, é a licenciatura pela Independente, e agora, para cúmulo dos cúmulos, o caso Face Oculta, ainda por cima, dando-lhe o nome ignominioso de uma casa de alterne de Aveiro. Não há pachorra que aguente!
Sucedem-se as legislaturas e os anos passam. Contudo, as cabalas e as urdiduras continuam. Será que um homem já não pode ter amigos?
Caramba, chega. Deixem o santo do homem em paz!

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 09:05

Análise do quotidiano com a máxima verticalidade e independência possível.
hernani.pereira@sapo.pt
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14

17
21

22
28

29


arquivos

Julho 2024

Junho 2024

Maio 2024

Abril 2024

Março 2024

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Julho 2022

Junho 2022

Maio 2022

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO