O meu ponto de vista

Maio 31 2009
Todos os dias vemos, lemos e ouvimos políticos, tanto os designados de âmbito nacional, isto é, aqueles que gravitam em Lisboa, como os que, à nossa beira, se acomodam nas câmaras municipais.
Porém, falar de políticos é também falar de política, ou seja de algo que devia encarnar uma luta constante pelo bem comum, com o desprendimento dos interesses pessoais.
Sem pretensões de dar lições a quem quer que seja, o político, na verdadeira acepção da palavra, deveria ter sempre presente a excelência na inovação, o primor no acompanhamento dos anseios dos eleitores e a elevação na qualidade dos serviços prestados, uma vez serem requisitos de hoje mas, seguramente, referências de médio e longo prazo.
Só assim o rigor e a seriedade farão o seu natural percurso de implantação em Portugal.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 21:27

Maio 30 2009

 


1.      Começa a emergir no PSD uma nova geração de estrelas, brilhando já, a maior parte das vezes, mais que a(s) paternidade(s). E dessas realce-se Paulo Rangel, político de uma “nova geração que não fez vida na política mas que está disponível”. Ou muito me engano ou vamos ouvir falar muito e bem deste novo estadista.


2.      O PS inviabilizou a ida de Lopes da Mota ao Parlamento para ser ouvido no caso das eventuais pressões exercidas sobre os procuradores que investigam o Freeport. Contudo, foi lesto e pressuroso ao ouvir Faria de Oliveira no caso do BPN. No primeiro, como o melindre é do PS, diz-se não. No segundo, como se pode obter alguns dividendos, através de ataques a ex-figuras próximas do PSD e de Cavaco Silva, há toda a abertura. Dois pesos e duas medidas tão ao gosto do PS.


Hernâni de J. Pereira

publicado por Hernani de J. Pereira às 23:43

Maio 28 2009
Carlos César, presidente do Governo Regional dos Açores, defendeu hoje o voto obrigatório nas eleições em Portugal como forma de “proteger” a democracia e aumentar a responsabilidade dos políticos.
Engraçado ou talvez não. Os políticos tudo fazem para alcançarem a sua total descredibilização e, por conseguinte, não admira que levem os portugueses a afirmar, alto e em bom som, que não vale a pena votar. Quando atingem a quase plenitude daquele acto, ai meu Deus, que a democracia está em risco e toca de obrigar o Zé Povinho a votar.
Mudar de atitude de modo a captar a simpatia dos eleitores, aumentando, assim, necessidade de estes se pronunciarem regularmente através do seu dever cívico? Era o aconselhável! Porém, isso dava muito trabalho e, acima de tudo, afastava a maioria do “úbere”.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 20:41

Maio 27 2009
Há um conjunto de reminiscências que trazem grande curiosidade a todos quantos se deparam com essa realidade.
Todavia, há que ter em conta o trabalho que transformou, por completo, o uso de tal memória, uma vez que é mais fácil destruir do que construir.
Contudo, o enfrentar de nova vida também é gratificante e quando conseguido há todo um registo de orgulho. É como fazer o trabalho de casa e chegar à conclusão, também do ponto de vista da rentabilidade, de que é uma aposta ganha.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 22:44

Maio 25 2009
A fragmentação social é, hoje-em-dia, algo nunca visto. Os ricos nos melhores lugares, cada vez mais ricos, em contraste com os pobres, na sua crescente miséria, cada vez mais periféricos.
A tudo isto soma-se o desperdício puro e simples dos escassos bens nacionais, resultante do duplo vazio, marcado, por um lado, pelo abandono e consequente decadência do mundo rural; por outro, por aqueles que, em relativo isolamento, vivem à parte da crise provocada pela tão falada crise da “bolha económica”.
Noutros países, o Estado tem um papel activo, disciplinando os grandes “empórios” e tornando-os mais justos e eficientes. Contudo, aqui a orientação é completamente contrária. Nunca houve tantos apoios e incentivos aos grandes grupos económicos, principalmente aos da construção.
Pudera, observem quem está à frente da Mota-Engil, EDP, Iberdola, CGD, BCP, GALP, isto só para citar algumas das grandes empresas.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 20:24

Maio 25 2009
Diferenças? Claro!
O unanimismo não é desejável
Pior seria a indiferença
Realce-se o que nos une
Pois é bem maior do que o que nos divide
A beleza está no sentimento
As palavras cativam-nos
E pelo olhar nos entendemos.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 12:19

Maio 24 2009
Em tempos que já lá vão gramámos sistematicamente com o péssimo linguarejar, em francês, de Mário Soares. Era coisa do anedório nacional
Por isso, hoje, dispensávamos perfeitamente o “portunhol” de José Sócrates. Tinha-o por mais inteligente.
Será que estes socialistas não se enxergam?

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 18:16

Maio 22 2009

A vida das pessoas é feita, continuamente, de sucessos e insucessos. É um facto indesmentível.


Nova página é virada. Novos investimentos profissionais e pessoais se procuram. Outros objectivos serão alcançados. Já lá diz o ditado “quando Deus fecha uma porta, uma janela se abre”.


A intensidade do investimento futuro pode ser maior ou menor conforme a visão que cada um tem da conjuntura. Ora, esta leva-nos a equacionar duas questões:



  • A fortaleza moral e o dinamismo, bem como o percurso de obra feita, dão-nos os atributos para, com todo o savoir faire, encarar o futuro de cara bem levantada;
  • Os tempos próximos, a curto prazo mesmo, trazer-nos-ão outras posturas políticas, o que nos impelirá, estamos convictos, para outros projectos.

É um privilégio viver os tempos actuais. E o futuro espera por nós.


 Hernâni de J. Pereira

publicado por Hernani de J. Pereira às 20:49

Maio 17 2009
Há ainda um longo caminho a percorrer até chegarmos ao patamar que todos pretendemos alcançar, mas a capacidade de adaptação e de resposta que os mais directos responsáveis têm é, de facto, fantástica.
São profissionais muito receptivos às novas tecnologias, às inovações e aos produtos que temos para lhes oferecer, demonstrando um enorme talento de aclimatação aos novos elementos que lhes são apresentados.
A sua grande força assenta no modo de funcionamento, ou seja, na antecipação do que são as necessidades dos nossos usuários, que tanto podem ser os profissionais da educação como os alunos e formandos, e na nossa habilidade de lhes facultar produtos inovadores e de qualidade acrescida.
Mas, além da antecipação das necessidades, há uma ideologia, por trás do funcionamento destes profissionais, que privilegia o relacionamento próximo, tanto a montante como a jusante.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 22:44

Maio 17 2009
Ontem o “Público” trazia uma longa reportagem sobre uma possível independência da Madeira. A determinada altura, com alguma estranheza, afirmava que, ao contrário dos madeirenses, a opinião dos continentais era maioritariamente favorável a esse eventual novo estatuto.
Ora, não vejo onde esteja tal admiração. Se eu vivesse acima das minhas possibilidades, à custa de outros, também não queria mudar de situação. Os outros é que, com toda a certeza, gostariam de mudar a sorte deles.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 00:47

Análise do quotidiano com a máxima verticalidade e independência possível.
hernani.pereira@sapo.pt
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12
13
15
16

18
19
20
21
23

26
29



arquivos

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO