O meu ponto de vista

Novembro 25 2005
Hoje deu-me para visitar alguns dos blogs mais badalados da nossa praça. Visitei, entre muitos outros, o Abrupto (http://www.abrupto.blogspot.com) do José Pacheco Pereira, o 4ª República (http://www.quartarepublica.blogspot.com) do David Justino, Massano Cardoso, Susana Toscano, Miguel Frasquilhe, entre outros, a Grande Loja do Queijo Limiano (http://www.grandelojadoqueijolimiano.blogspot.com) de autores desconhecidos, terminando no Causa Nossa (http://causa-nossa.blogspot.com) do Vital Moreira, Ana Gomes, Vicente Jorge Silva, Luís Osório e outros.

Não vou pronunciar-me sobre todos. Quero apenas dizer algo sobre o último dos blogs citados.

Afinal, tanta coisa para nada. Ideias novas: zero. Algo de diferente: nicles”. Linguagem renovada: nada vi.

O que vi foram lugares comuns: abraços, combinações para jantares, ralhetes entre camaradas, enfim lugares comuns.

No fundo um grupo de camaradas a defenderem acerrimamente o seu “tacho”.

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 23:49

Novembro 21 2005
Tem sido, hoje, notícia nos meios de comunicação social de que na Alemanha o novo governo vai tomar, de imediato, as seguintes medidas:

• Redução em 50% do subsídio de Natal dos funcionários públicos;

• Aumento do número de horas semanais de trabalho;

• Corte do 13º mês aos militares;

• Diminuição em 2,5% do número de funcionários públicos.

Se estes sacrifícios são pedidos aos funcionários públicos na maior economia europeia, como é possível que em Portugal os sindicatos estejam contra a perda de privilégios, como é exemplo as reformas aos 52 anos ou menos?

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 22:17

Novembro 20 2005
Pela responsabilidade que tenho no actual sistema educativo, tenho procurado, o mais possível, manter afastado deste espaço todas as questões relativas àquele. Não por receio de manifestar a minha opinião, mas essencialmente por me achar actor e actor, de certo modo, privilegiado e, assim sendo, por incerteza de que a mesma não seja imbuída da necessária distância que ao comentarista se exige.

Porém, ultimamente toda a gente alvitra sobre as designadas aulas de substituição. E, por isso, não resisti a dar também o meu parecer. Eis, pois, o que uma ou outra vez já afirmei em termos reservados e agora torno público:

a) As aulas em questão são impropriamente designadas por aulas de substituição, uma vez que, no fundo, são aulas de ocupação dos alunos, pois aquelas possuem um perfil e carácter muito diferente e são pagas, com toda a lógica, como serviço extraordinário, já que, quando acontecem, prosseguem um plano de aula deixado pelo titular da disciplina, o que não acontece com as segundas.

b) As tais aulas de ocupação só acontecem devido às ausências de outros professores, os quais se valem dos tais 57 motivos para faltar (ver a propósito http://dn.sapo.pt/2005/11/20/opiniao/captura_estado_pelas_corporacoes.html). Se os docentes fossem mais responsáveis, muita desta polémica cairia pela base.

c) Os alunos estão sempre melhor dentro da sala de aula do que no recreio, mesmo que durante esse espaço de tempo façam palavras cruzadas, dialoguem sobre este ou aquele tempo, joguem ao soduku, etc., etc. A não ser que queira dar razão aos alunos que afirmam que agora já não têm tempo de namorar.

d) Enquanto primeiro responsável pela minha escola nunca solicitei, por exemplo, a nenhum docente de inglês que fosse dar uma aula de educação física ou vice-versa, tal como não acredito que algum dos meus colegas de outras escolas ou agrupamentos o tenha feito. O que pedi, peço e continuarei a pedir, pois acredito em tal projecto, é que, na medida do possível, se preparem para ocuparem os alunos que, por meio de critérios pedagógicos, lhes caibam. Daí o apelo veemente para que nas horas que passam na sala de professores, biblioteca, etc., a aguardar eventuais ausências dos colegas, preparem maletas pedagógicas.

e) O que sei, por ter feito também as ditas ocupações, apesar das minhas funções de gestão, é que, desde que dadas com sentido de responsabilidade, as aludidas aulas podem atingir um carácter muito distinto e prestigiante. Só é necessário partir com o coração aberto e pronto a dizer/fazer algo com os jovens.

f) A experiência de 28 anos ensinou-me que qualquer que seja a medida, o início da sua aplicação é sempre problemático e tormentoso. Quem não se recorda da reforma de Roberto Carneiro, do Estatuto da Carreira Docente, agora tão acerrimamente defendido, do Regime de Autonomia, Administração e Gestão dos Estabelecimentos de Ensino (D.L. nº 115-A/98), da reorganização curricular de 2001, etc., etc.? Nesses momentos, registaram-se igualmente greves, protestos de rua e demais lutas político/sindicais.

g) Comungo da ideia que o momento é angustiante para os professores. Foram anos e anos de alguma má prática, de algum laxismo e contrariar isso é penoso. No entanto, muito mais doloroso é ver o aproveitamento político/sindical de tal situação. É indecoroso …

Hernâni de J. Pereira
publicado por Hernani de J. Pereira às 23:09

Análise do quotidiano com a máxima verticalidade e independência possível.
hernani.pereira@sapo.pt
Novembro 2005
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

22
23
24
26

27
28
29
30


arquivos

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO